Paulinha inicia a semana com agenda intensa em Bombinhas


Em seu escritório Regional em Bombinhas, foram mais de 25 atendimentos, presenciais e virtuais, com lideranças politicas, empresariais, comunitárias, com uma agenda que pausou apenas para conceder  entrevistas para os jornalistas das rádios do Sul do Estado, que destacaram uma das bandeiras dessa semana da deputada: A audiência pública confirmada para quinta, dia 05, às 14h, que irá tratar dos impactos para o litoral catarinense da extração de petróleo no Estado. Vinte e nove municípios litorâneos serão atingidos com essa iniciativa da ANP, que pode ainda exterminar com a pesca da tainha e com o turismo litorâneo em Santa Catarina.

“A tradicional pesca da tainha pode acabar no litoral de Santa Catarina e o nosso turismo de praia será comprometido”.  Para entender efetivamente os impactos que a extração de petróleo pode provocar ao litoral catarinense, a deputada Paulinha definiu nessa  frase de alerta a importância dessa audiência pública, que pretende envolver e engajar a sociedade civil catarinense.  
Coordenadora da Frente Parlamentar Ambientalista de Santa Catarina, a deputada Paulinha está muito preocupada com este assunto.

Para entender o que motivou essa audiência pública para quinta, dia 05 de agosto, às 14hs, no Parlamento:  o Governo Federal, por meio da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, autorizou e incluiu áreas da Bacia de Pelotas e Santos na 17ª Rodada de licitações de blocos para exploração e produção de petróleo e gás natural, agendado para o  dia 07 de outubro de 2021, mediante uma sessão pública de apresentação das ofertas.

Para ela,  antes de qualquer decisão exploratória, o Estado tem que considerar os impactos do setor petroleiro e suas consequências.  O exemplo do acidente petroleiro no nordeste, no ano de 2019, que ocasionou inúmeros prejuízos à biodiversidade e ao turismo da região, está aí para  apontar o que pode acontecer com Santa Catarina. “  Logo, caso ocorra este leilão sem as análises técnicas necessárias, Santa Catarina e 29 (vinte e nove) de seus municípios litorâneos, ficam suscetíveis a desastres ambientais”, avalia.

Valquiria Guimarães
Assessoria de Comunicação
Deputada Paulinha
048 991047676

Comente com o Facebook