Peregrino, barco algum jogado pelo destino a mar turbulento e sem bússola

ETERNOS PEREGRINOS

As estradas estão cheias de peregrinos, muitos dos quais ignorando de onde saíram e para onde estão seguindo.
Apreensivos quanto ao percurso e mais ainda em relação à estação de chegada, inúmeros se acolhem em falsos abrigos, buscando refazimento ou espairecimento.
Travam contato com filosofias respeitáveis, que menosprezam.
Adotam religiões dignas, que não estudam com interesse.
Adquirem livros, que nunca abrem para breve reflexão que seja.
O assunto é sempre a aspereza da estrada, o custo da vida, o sucesso que tarda, a oportunidade de ouro que não surge e a blindagem do corpo contra as enfermidades destruidoras.
Riem e choram.
Brigam e discutem ninharias.
Proclamam a existência de Deus, mas elegem os ídolos de barro como suas transitórias lideranças.
Na vida, alegam medo da morte. Se ela surge, afirmam ter receio da vida.
E qual rebanho de ovelhas desgarradas do pastor seguem rumos próprios, em lutas intermináveis pelos próprios interesses.
Criticam a tudo e a todos, isentando apenas os negócios que lhes dizem respeito. Exigem a dureza da lei para adversários e opositores, e quando se vêem desnudos neste ou naquele pequeno delito clamam, irritadiços, pelos benefícios das ordenações legais em causa própria.
Amontoam bens materiais com avareza desconcertante.
Ajuntam valores e por isso estão sempre na mira de meliantes e oportunistas.
Se fazem cofres fortes de tesouros que a morte subtrai e choram desconsolados quando não conseguem dobrar ou triplicar a riqueza que lhes chega às mãos avarentas.
Esse ainda é um quadro muito presente na atual civilização humana, lamentavelmente representando a maioria dos interesses de homens e mulheres. Envenenados pelo materialismo que eclipsa a razão e intoxica o sentimento, incalculável massa de povo se deixa presentemente arrastar pelo ideal de vencer no mundo, ignorando o que seja vencer o mundo.
Muitos não passam de crianças espirituais, ainda infantilizadas pelos brinquedos materiais. Outras, são empreiteiros da ignorância, espalhando medo e histeria entre os demais. Quase todos perderam o endereço de si mesmas e caminham do nada para lugar nenhum, juntando o que vão deixar e acumulando o que não podem possuir.
Entretanto, a vida superior nunca abandona os filhos da Criação Divina. Todos os dias são eles visitados por lições no caminho, despertando consciências e renovando o coração.
Um amigo liberto da ilusão que lhes conta a própria renovação. Um livro que induz às mudanças íntimas. Um caso de família que induz a outras posturas. Uma enfermidade que retém o doente no leito em saudáveis reflexões.
A Misericórdia do Pai tem mil recursos para despertar os filhos para sua realidade transcendente, nunca se valendo da violência ou da ira. Sempre o tempo como ferramenta renovadora e as próprias ocorrências da estrada como aulas da vida, lecionando mudança e aprimoramento incessante.
A dor despertando os invigilantes.
A morte renovando a convivência.
O sofrimento descortinando ignorados horizontes.
O Crucificado Sem Culpa já tinha nos assegurado que no mundo somente teríamos aflições. Elas ocorrem, são muitas e causam desconforto. Ao lado delas, caminham silenciosas a alegria, a esperança e a fé.
Ninguém deserdado da ajuda divina. Pessoa alguma desamparada por Deus. Barco algum jogado pelo destino a mar turbulento sem uma bússola emprestada pelo Excelso Amor.
Talvez te enquadres nessa multidão de desavisados. É possível que te vejas igualado a muitos que jornadeiam na Terra vasta, atentos apenas aos lauréis passageiros.
Entretanto, luziu em tua caminhada claridade diferente. Uma doutrina te chegou ao coração pelas portas da cerebração. Entreviste ângulos da vida nunca antes divisados. Deste conta de que TER não significa SER. E o amanhã te inquieta o raciocínio.
Surgiu teu instante dourado.
Despertaste para um novo tempo, em condições de refazer o caminho, renovar as atitudes e adotar diferentes pensamentos.
Podes alterar tua rota, se quiseres.
Nunca foste tu que aguardavas pela luz divina. Sempre foi a luz excelsa que te esperava, paciente, pelo despertar da consciência embotada.
Para trás ficaram tuas ilusões. Já não podem seguir contigo no novo tempo de teu relógio evolutivo.
Diante de ti um desconhecido continente. Tuas terras íntimas, aguardando desbravamento.
Segue! Jesus vai contigo.
Marta
Psicografia de Marcel Cadidé Mariano
Centro Espírita Caminho da Redenção
Mansão do Caminho
Instituição fundada por Divaldo Franco e Nilson a mais de 75 anos
Marcel também é trabalhador da Federação Espírita da Bahia a mais de 37 anos
09.07.2021

Leia ainda: Viajar ou encontrar o amor da sua vida, eis a questão; mas não para a maioria

Peregrino, barco algum jogado pelo destino a mar turbulento e sem bússola
turismoonline.net.br – O portal do turismo, hotelaria, gastronomia, cultura, destinos e viagens – Anuncie aqui: [email protected]

Siga este jornalista e fotógrafo no Instagran: @jeff_severino

No Youtube também!
Fotos: Divulgação / Jefferson Severino / Assessorias de Imprensa / Arquivos Pessoais
Fontes: Assessorias de Imprensa

Leia ainda:

Viajar ou encontrar o amor da sua vida, eis a questão; mas não para a maioria

Sul do Brasil e Nordeste lideram como principais destinos de férias

Turismo ecológico e sustentável é a primeira opção dos brasileiros

Com a vacinação, retomada gradual do mercado hoteleiro já é realidade

O post Peregrino, barco algum jogado pelo destino a mar turbulento e sem bússola apareceu primeiro em Turismo On-Line.

Comente com o Facebook