Memória Digital: Chapéus Nelsa


O chapeleiro polonês Rudolfo Leder trabalhava em São Paulo quando foi contratado pela Clasen & Weege, indústria fundada em 1925. O profissional chegou a Blumenau com a família para atuar na produção dos chapéus “Nelsa”, que tinha esse nome devido ao “N” do nome da filha de Olinger (Ninete), também sócio da empresa, e “Elsa” – nome da filha mais nova de Rudolfo Leder. Em 1931, a fábrica mudou para o prédio na Rua São Paulo nº 1.120 (em frente ao Senai). Em 1931, Friedrich Karl Kurt Lischke, engenheiro contratado pela firma Carl Hoepcke, de Florianópolis, assumiu a sociedade de chapéus, e a firma chamou-se então “Leder & Lischke”. A esposa do senhor Leder, Dona Elsa, sempre costurava com a ajuda de quatro a cinco moças contratadas. Os chapéus prontos recebiam um forro de seda, uma carneira de couro, um laço por dentro e uma fita em seda pura ao redor, do lado de fora. Na imagem, funcionários da fábrica. (Fonte: Secretaria Municipal de Cultura / Arquivo Histórico José Ferreira da Silva / Acervo iconográfico: Fundo Memória da Cidade – Blumenau – Indústria – F – Fábrica de Chapéus Nelsa – 5.13.F.9.16 / Fundo Memória da Cidade – Indústrias- Fabrica de Chapéus Nelsa 26.1.12.C.2 doc 09)

postada em 09/07/2021 16:23 – 2 visualizações

Fotos

Comente com o Facebook