Jovens indígenas ganharão prêmios pela preservação de rios e oceanos

Jovens de comunidades e indígenas de todo o Brasil, na faixa etária de 18 a 26 anos de idade, podem se inscrever gratuitamente, até o próximo dia 10, para desenvolver projetos focados na preservação da Baía de Guanabara e dos rios da Amazônia. As inscrições são feitas no endereço https://debatesideias.com.br/labjovens.Notícias de Balneário Camboriú - SC HOJE NewsNotícias de Balneário Camboriú - SC HOJE News

A ação faz parte do programa Lab Jovens, patrocinado pela empresa L’Oréal Brasil e que tem como tema, este ano, o combate à poluição dos oceanos e a luta contra micro-plásticos.

Os jovens deverão desenvolver um projeto-ação em defesa das águas da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, e dos rios da Amazônia em um ou mais campos de atuação: jornalismo e educação, engajamento comunitário, soluções científicas, propostas artísticas e cooperação internacional.

A diretora de Sustentabilidade da L’Oréal,  Maya Colombani, disse à Agência Brasil que o objetivo é educar e mobilizar a juventude sobre a conservação dos oceanos e mares, compartilhando com os jovens conteúdos “inspiradores e lógicos”, para que possam desenvolver projetos próprios em defesa dos oceanos e dos rios e “Ter um futuro mais positivo sobre os recursos hídricos do Brasil”.

Maya acredita que os jovens de hoje podem fazer a diferença no futuro. “E água é um recurso extremamente precioso. Até 2030, duas entre cada três pessoas vão sofrer de escassez de água. A água é o novo ouro da nossa sociedade. Por isso, temos que cuidar com o maior carinho”, afirmou.

Etapas

Na primeira fase da premiação, que se estenderá de 19 de junho a 24 de julho, 200 jovens selecionados participarão de seis seminários temáticos ‘online’ sobre a defesa dos oceanos e dos rios e a luta contra a poluição. Cinquenta jovens que apresentem as melhores ideias serão selecionados para a fase seguinte, que irá de 14 de agosto a 9 de outubro, na qual terão a oportunidade de ter um mentor para acompanhá-los no desenvolvimento dos projetos. Também participarão de encontros com profissionais e defensores de cada um dos campos de atuação do prêmio e de cinco ateliês de elaboração de projetos na defesa do oceano e dos rios com atividades metodológicas e debates. Os dez melhores passarão para a terceira fase e apresentarão seus projetos em um evento final, programado para novembro deste ano.

Os prêmios beneficiarão seis vencedores finais das três categorias de cada prêmio: categoria Rio, com R$ 1 mil; Mar com R$ 2 mil; e Oceano, com o valor máximo de R$ 5 mil. Os prêmios deverão facilitar a implementação dos projetos dos jovens. Os vencedores poderão ser apoiados por um fundo semente de até R$ 5 mil, concedido pela Embaixada da França e a Delegação da União Europeia no Brasil, além de receberem oportunidades de pesquisa de campo. Poderão receber também o certificado de Defensora ou Defensor dos Oceanos e Rios.

Sensibilização

A diretora de Ciência do Instituto Serrapilheira, Cristina Caldas, acredita que iniciativas que busquem sensibilizar os jovens para as questões do meio ambiente são sempre importantes e que, para que essa sensibilização seja verdadeiramente eficaz, é fundamental promover o conhecimento sobre o assunto. “Esperamos que os participantes do Lab Jovens se sintam inspirados e estimulados a se mobilizar pelo meio ambiente e pela ciência como um todo”, concluiu Cristina.

Na avaliação do Adido de Cooperação Técnica da Embaixada da França no Brasil, Damien Gairin-Calvo, o Lab Jovens é “Para todas e todos, defensoras e defensores do meio ambiente em toda sua diversidade, porque acreditamos que a troca de diferentes experiências será o motor desse projeto”.

Comente com o Facebook