Escola municipal trabalha a educação financeira


A Educação Fiscal Financeira é um dos temas transversais que relaciona todas as áreas do conhecimento e está presente no cotidiano de todas as famílias.

Na Escola Básica Municipal Clara Urmann Rosa, o Dia Estadual Livre de Impostos, 27 de maio, ficará marcado para os estudantes do 6º e 7º anos, pois tiveram uma experiência de consumidores na prática, sendo que todos os tópicos envolvendo o assunto foram intensamente pesquisados e debatidos.

“Em sala de aula pesquisamos há alguns dias o valor de um smartphone em uma loja. Hoje voltamos a fazer a mesma pesquisa e estava com o valor 20% menor”, disse a estudante do 7º ano, Bianca Barbosa.

Ela destacou que neste dia, em que vários produtos serão oferecidos com este desconto dos impostos, consegue perceber o quanto de imposto é pago em cada produto. Por outro lado, ressaltou que o imposto é necessário.

Os estudantes vêm há meses discutindo o impacto dos impostos no dia a dia das famílias. Uma experiência desenvolvida na escola, foi em relação às despesas familiares, na qual os professores utilizaram um valor simbólico como forma de demonstrar quanto as famílias recebem no mês e quanto disso é tributo. Mas também mostrando a importância de contribuir com estes impostos, uma vez que retornam para os cidadãos através do serviço público.

Na instituição, estudantes e professores elaboraram um painel do impostômetro, que mostra a arrecadação de Chapecó até esta data, e outro com experiências das famílias e dos adolescentes descrevendo o que pode ser melhorado dentro de casa para diminuir as despesas, valorizar produtos não piratas e contribuir da mesma forma com a meio ambiente, reduzindo o consumo de água, luz e a produção de lixo.

“Apesar de minha filha estudar ainda no 4º ano, ela presenciou no ambiente escolar toda a movimentação, o painel do impostômetro e em conversas comigo, questionou o que era e avaliou que é necessário sempre fazer pesquisa de preço antes de adquirir qualquer produto”, disse Elisângela Ribeiro, mãe da estudante Kauana Ribeiro,

O professor de Matemática Marco Antônio Vieira ressaltou que a educação fiscal produz cidadania e por isso deve ser aproveitado este momento em que as famílias estão mais próximas, em casa. “Alguns relatos dos estudantes mostram que as mudanças de fato ocorreram nas residências e que apesar de termos uma carga tributária alta, o dinheiro de forma indireta retorna a nós, seja na educação, na saúde ou em outra área”, explicou.

A Secretária de Educação, Astrit Savaris Tozzo, disse que a educação financeira é muito importante na formação de cidadãos mais preparados para a vida. “A Educação Fiscal, além de oportunizar a Matemática de forma prática e significativa, desenvolve conhecimentos de vida, multidisciplinares. Estes saberes contribuem para a formação do aluno como cidadão completo, conhecedor de sua função social”, concluiu Astrit.

Comente com o Facebook