Rodovias e defesa dos animais são destaque do Plenário da Alesc nesta quinta-feira


As rodovias e a defesa de direitos dos animais foram os assuntos que marcaram a sessão desta quinta-feira (8) na Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina. Os parlamentares repercutiram tanto a aprovação no dia anterior do uso de recursos estaduais para obras viárias de responsabilidade federal quanto um projeto de lei que pretende vetar as corridas de cachorros galgos no território catarinense.

O deputado Sargento Lima (PL) destacou a importância da inclusão da BR-280 no grupo de rodovias federais que vão receber aporte financeiro do governo do Estado. Ele agradeceu ao autor da emenda, deputado Silvio Dreveck (PP), por ter lhe permitido participar da iniciativa e fez críticas ao Poder Executivo catarinense.

Na visão de Lima, faltou ao governo estadual “estudar” as mudanças econômicas mundiais que provocaram forte aumento na movimentação nos 50 quilômetros entre Joinville e o porto de São Francisco do Sul. “Em 2017, 2018, aumentou o consumo de soja na Ásia e Europa, algo que foi bom para o Brasil. Consequentemente, tivemos mudança na exportação via Porto de São Francisco do Sul, que passou a trabalhar exclusivamente com grãos e fertilizantes”, relatou o deputado. Ele citou ainda que em 2019 o faturamento do porto foi de cerca de R$ 74 milhões e houve um acréscimo de 40% no ano seguinte, gerando um aumento de 5,48% do trânsito de cargas na rodovia. Mas, segundo ele, o Estado não acompanhou a alteração e os recursos já poderiam ter sido empregados para solucionar o problema.

Durante a Ordem do Dia desta quinta, o Plenário aprovou a redação final dos Projetos de Lei 64/2021 e 65/2021. De autoria do governo do Estado, as matérias asseguram o repasse de verba para as obras da BR-280 e demais rodovias federais.

Divisa
Também tratando sobre rodovias, o deputado Volnei Weber (MDB) usou a tribuna da Alesc para comemorar a escolha por parte do Departamento Nacional de Infraetrutura de Transportes (Dnit) da empresa que vai realizar as obras da BR-283 no planalto gaúcho, na cidade de São José dos Ausentes. “É o último trecho a ser pavimentado e que interessa muito a Santa Catarina, pois liga Timbé do Sul à Serra da Rocinha”, afirmou.

Segundo Weber, o assunto é algo aguardado há muitos anos no Sul. “O investimento vai garantir a ligação do noroeste gaúcho até porto de Imbituba, algo que pode gerar um novo corredor para a exportação de grãos. Além de criar um atrativo turístico será positivo, para a economia do Sul catarinense”, citou.

Galgos
O deputado Március Machado (PL) pediu apoio dos demais parlamentares ao Projeto de Lei 43/2020. “Apresentei para que tenhamos a proibição das corridas de cachorros galgos. Esta prática nefasta aconteceu na Argentina, onde foi proibida. Foi para Uruguai e veio para o Rio Grande do Sul, onde a Assembleia Legislativa proibiu por unanimidade”, explicou.

Machado exibiu no telão do plenário uma reportagem de TV que mostra como funcionam as corridas. O deputado informou que os organizadores das competições utilizam substâncias químicas nos animais que, além do sofrimento, são abandonados quando não conseguem mais competir. “Essa prática já acontece em Santa Catarina e é comum até a presença de crianças, algo proibido pela lei, nas corridas. Isso não é cultura. O projeto já passou pela CCJ [Comissão de Constituição e Justiça], onde também aprovamos multas para rinhas de galo, cachorros e zoofilia. Na próxima semana estarei na Assembleia Legislativa do Paraná para apresentar o projeto para deputados colegas do partido, para que o Sul esteja blindado contra isso”, relatou.

Educação
O deputado Weber voltou a discursar dentro do horário dos partidos. O parlamentar do MDB relatou a realização nos dois anteriores do Fórum da Juventude organizado pelo Conselho Econômico e Social da Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo ele, o evento contou com a participação de jovens de todo o mundo, incluindo brasileiros.

Em sete edições do evento que reúne 16 países da América Latina, argumentou Weber, foram premiados 521 projetos e 1.749 estudantes. Foram destacados cerca de mil professores de escolas públicas e foram impactados positivamente mais de 160 mil estudantes.

O deputado explicou que levou o assunto ao plenário por avaliar que, principalmente durante a pandemia, os jovens “estão pagando um preço muito alto” ao perderem a oportunidade das aulas presenciais. “Precisamos apoiar a escola pública. Temos o colega deputado Luiz Fernando Vampiro na Secretaria da Educação. Sei do comprometimento dele com os bons projetos, mas destaco que oportunidades devem aparecer nas escolas municipais, estaduais e nos centros federais, cursos técnicos e universidades. A educação, principalmente a pública, precisa avançar mais e mais. Para abrir perspectiva de futuro para que os jovens possam melhorar a sociedade e trazer dias melhores para todos nós”, concluiu.

Comente com o Facebook