Deputados criticam ações do governo e cobram respostas

Membros das bancadas do PL e do MDB criticaram ações do governo e cobraram respostas a questionamento referentes à gestão da pandemia na sessão de quarta-feira (15) da Assembleia Legislativa.

“Nomear mais auditores fiscais, mais procuradores, é uma ação equivocada, há um projeto de sustação de ato para anular a nomeação de 17 procuradores e 90 auditores do estado, todos com salários de mais de R$ 30 mil, se fossem médicos e enfermeiros, aceitaríamos”, admitiu Maurício Eskudlark (PL).

O deputado citou críticas do Tribunal de Contas (TCE) à gestão da pandemia, como a delegação de responsabilidade aos municípios, e denunciou que quase a metade dos respiradores adquiridos da WEG seguem inativos.

“Dos 500 respiradores da WEG, 275 estão instalados e 225 a instalar, o governo tem sido ineficiente”, disparou Eskudlark.

Já a deputada Ada de Luca (MDB) cobrou informações sobre o que foi feito e sobre o que se fará, lembrou que não há falta de recursos e defendeu a injeção de dinheiro público na economia.

“Queremos todas as respostas do que foi e tudo o que vai ser feito, tem dinheiro sim, no mês de julho a receita liquida cresceu R$ 251 mi em relação a julho de 2019, cresceu 12%. Em abril e  maio tivemos queda, mas por outro lado recebemos R$ 334 mi de auxílio do governo federal, então temos recursos, o que precisamos é que sejam bem investidos, com cuidado, cautela”, observou Ada.

A deputada listou vários questionamentos.

“Queremos saber dos recursos aos empreendedores? Onde estão os recursos do Badesc? Já acabaram? Quem recebeu? Pronamp, bancos públicos, temos de saber, a Caixa Econômica Federal (CEF) já atingiu o limite disponível de R$ 6 bi, os bancos privados e cooperativas também estão começando a liberar recursos, o caminho é usar dinheiro público para fazer a roda da economia girar”, ensinou Ada.

Escolas privadas
Mauricio Eskudlark apoiou as reivindicações dos proprietários das escolas privadas, que cobram o retorno das aulas.

“A cada dia está fechando uma escola particular em Santa Catarina, o estado não vai ter como receber os alunos e vamos enfrentar um problema grave ao não termos o retorno das atividades”, avaliou.

Segundo Eskudlark, o retorno impõe mudança nos protocolos.

“Fechar por fechar, não resolve, o que resolve é o uso da máscara, idoso ficar em casa, fechar só é eficiente para destruir a economia, empregos e fazer com que mais doenças venham a proliferar”.

UFSC
Padre Pedro Baldissera (PT) destacou a produtividade da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que subiu no ranking das universidades públicas da América Latina de 12° para 9° lugar.

“A UFSC não é destaque de agora por ter subido no ranking das universidades públicas da América Latina, é de décadas o destaque, a UFSC é o berço de muitas das empresas que hoje se destacam no estado”, discursou Padre Pedro, que citou estudo da universidade que detectou vestígios do coronavírus no esgoto de Florianópolis ainda em novembro, portanto antes do suposto início da pandemia na China.

Oficiais e praças na CPI
Coronel Mocellin (PSL) comentou a atitude de colegas membros da CPI que ao inquirirem membros da Polícia Militar repetem o bordão desrespeitoso “você não está falando com seus soldados”.

“Tenho ouvido várias vezes ‘você não está falando com seus soldados’, dando a impressão de que os soldados são funcionários dos oficiais, que podem ser tratados com falta de educação e desrespeito. Isso ofende os oficiais e os praças. Fui soldado, tenho uma filha soldado e quando ouço este tipo de manifestação, ela é ofensiva. Oficiais não mandam em praça, comandam, significa operar junto, os praças não servem os oficiais, servem à sociedade”, argumentou Mocellin.

Ivan Naatz (PL) defendeu os membros da CPI dos Respiradores.

“Alguns (depoentes) são do corpo da PM, mas preciso repetir a frase de Kennedy Nunes (PSD) quando falou com o secretário Tasca, ‘quem senta naquele banco não usa uniforme militar, está usando rupa civil’, sentam para conversar com os deputados pensando que são militares, são políticos e civis”.

Sessões às 14 horas
O presidente da sessão, Mauro de Nadal (MDB), consultou os líderes sobre requerimento do deputado Kennedy Nunes de retorno do início das sessões ordinárias às 14 horas.

Os líderes aprovaram o retorno e assim as sessões voltam ao horário normal, porém continuarão iniciando pelo horário dos partidos políticos, sendo que a ordem do dia começará às 15 horas.

Golpe pelo celular
Altair Silva (PP) alertou os colegas e a comunidade para golpe que está sendo aplicado utilizando seu nome e de assessores para captar dinheiro de incautos.

Kennedy Nunes e Marcius Machado (PL) deram dicas sobre como evitar que os criminosos identifiquem familiares e amigos próximos nos contatos dos telefones clonados.

“Como você faz a marcação dos contatos dos familiares e amigos? Tem gente que guarda “amor”, “paizinho”, “filho”, e isso é a melhor forma quando invadem os seus contatos para saber quem é da família. Peço para que todos troquem seus contatos, coloquem só o nome, para quando entrarem, eles não saberem quem são os próximos”, sugeriu Kennedy.

“Aconteceu comigo também, utilizam a inteligência divina para o mal”, ponderou Marcius Machado (PL).

Clínica Reviver
Sargento Lima (PSL) homenageou a Clínica Reviver, de Ibicaré, no Vale do Rio do Peixe.

“A Clínica Reviver oferece tratamento, recuperação e reinserção social de dependentes químicos. Fazem excelente trabalho, estão há mais de 20 anos, quase 20 mil passaram por lá e foram recuperados, meus parabéns e meu respeito a todo trabalho da Clínica”.

Barragem de José Boiteux
Ivan Naatz cobrou a recuperação da barragem de José Boiteux, abandonada pelo governo do estado.

“A cheia vai chegar, não sei se amanhã, ano que vem, porque ela sempre chegou, passa por aqui e faz estragos. É uma barragem fundamental para proteger a população que mora de Rio do Sul para baixo”, insistiu Naatz.

Hospital Regional do Extremo Oeste
Maurício Eskudlark destacou repasse de R$ 500 mil de emenda individual do senador Jorginho Melo (PL) ao Hospital Regional do Extremo Oeste, de São Miguel do Oeste.

“O hospital atende a Covid, estamos com 18 leitos de UTI, sendo nove de Covid e agora chegaram mais dez respiradores do governo do estado”, informou Eskudlark, que pediu agilidade para a ampliação de mais 10 leitos de UTI.

Reforma da previdência
Eskudlark, que é relator da Reforma da Previdência na CCJ, anunciou que recebeu parecer opinativo da Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas, que foi contratado pela Fiesc.

“A Fiesc entende que a proposta enviada pelo governo foi conservadora, quanto às nossas emendas e relatoria não há objeção, o que e Fiesc gostaria é que houvesse a tributação previdenciária a partir de um salário mínimo. É melhor contribuir com pouco do que daqui a pouco não ter nada”, opinou, referindo-se a contribuição de aposentados.

Silo público, uso privado
Jessé Lopes (PSL) denunciou que silo público para armazenar grãos no porto de São Francisco do Sul está sendo subutilizado por três empresas privadas, gerando perda de receita.

“O silo está sendo monopolizado por empresas privadas, isso é um dos motivos para abertura de CPI que estou coletando assinaturas. Está sendo subutilizado, não está sendo usado em toda sua capacidade e isso faz com que haja perda de receita, em 2019 deixou de arrecadar R$ 22 mi”, reclamou Jessé.

Comente com o Facebook