Balneário Camboriú e Camboriú firmam acordo com rizicultores para evitar falta de água na temporada

0
4

As Prefeituras de Balneário Camboriú e Camboriú e a Empresa Municipal de Água e Saneamento de Balneário Camboriú (EMASA), firmaram acordo inédito com os rizicultores de Camboriú, para garantir o abastecimento de água nos dois Municípios nesta temporada. A homologação dos contratos firmados com os 18 rizicultores, foi publicado nesta quarta-feira (18).

O acordo prevê a locação temporária de área declarada de utilidade pública no Município de Camboriú “quadras de arroz”, para reservação de água bruta, visando atender a demanda excessiva de água potável, ocasionada pelo período da temporada de verão. Serão 655 hectares de área para reserva de água proveniente do Rio Camboriú, equivalente a dois terços de todo o espaço de plantio de arroz.

De acordo com o prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, com o acordo, os rizicultores deixarão de cultivar a chamada “safrinha” no início do ano e serão indenizados pela Emasa, com valor calculado de acordo com o que receberiam na próxima safra, um investimento total de R$ 1,1 milhão. “Esse acordo inédito com os rizicultores garantirá que não falte água durante a temporada, e por isso, vamos indenizá-los pela safra que deixarão de aproveitar e também pela reserva e liberação de água estocada”, explicou o prefeito Fabrício Oliveira.

As terras usadas para quadra de arroz, servirão como um grande reservatório com cerca de 10 e 15 centímetros de lâmina d´água. Em caso de estiagem, os rizicultores são acionados e liberam a água reservada de volta para o rio, aumentando o volume do Rio Camboriú. Segundo os cálculos de técnicos da Emasa, a reserva será capaz de manter Balneário Camboriú e Camboriú abastecidas por até 12 dias, em caso de estiagem.

Para o prefeito de Camboriú, Elcio Rogério Kuhnen, a iniciativa foi positiva para todos. “É um passo muito importante, tanto para os nossos rizicultores, como para a cidade. Eles terão uma garantia e os dois municípios podem utilizar as águas que eles armazenam caso seja necessário”, destaca o prefeito de Camboriú.

Os contratos foram feitos sob orientação do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC), e tiveram a participação da Epagri como testemunha. “A demanda de água aumenta no verão e se enfrentamos um período de estiagem, correríamos o risco de passar pela situação crítica de outros anos e que outros municípios enfrentaram em agosto. Desde julho avançamos nas conversas e na proposta para indenização e quando tivemos o sinal positivo dos rizicultores, fomos ao Tribunal de Contas para auxiliar no trâmite”, menciona o diretor-geral da Emasa, Douglas Costa Beber.

Comente com o Facebook