Escassez de água e despedida de Walmor de Luca ganham destaque na sessão da Alesc

A escassez de água no estado, que atinge a cidade e o campo, e a despedida da deputada Ada de Luca (MDB) do companheiro de 53 anos de vida conjugal, Walmor de Luca, que morreu no último dia 9 de setembro, ganharam destaque na sessão de quarta-feira (18) da Assembleia Legislativa.

“Situação difícil de várias famílias com a escassez de água, os rios estão definhando, as nascentes estão desaparecendo e se não enfrentarmos essa grave situação com políticas públicas e iniciativas pessoais, de grupos e de entidades, infelizmente alguns espaços de Santa Catarina virarão desertos”, alertou padre Pedro Baldissera (PT).

O parlamentar convidou os colegas e a comunidade para participarem do seminário “Meio ambiente e sociedade”, que acontecerá dia 20, a partir das 8h, no centro de eventos Antonio Ferronato, em Salto Veloso, no Meio Oeste.

Já a deputada Ada de Luca agradeceu emocionada a solidariedade que recebeu pela morte do companheiro Walmor de Luca, ex-deputado federal e liderança respeitada no estado e no país.

“Quero agradecer os poderes que se solidarizaram com a minha dor e a dor da minha família, em especial ao deputado Julio Garcia (PSD), que suspendeu as atividades da Assembleia no dia do sepultamento”, declarou Ada, que também agradeceu o governador do estado, o prefeito de Içara, o senador Dário Berger (MDB), os ex-governadores Casildo Maldaner, Paulo Afonso, Raimundo Colombo e Eduardo Moreira, além de deputados, prefeitos, vereadores e correligionários.

“Nunca estamos preparados para despedidas”, admitiu, emocionada, a deputada.

Moacir Sopelsa (MDB), Luciane Carminatti (PT), Mauro de Nadal (MDB), Milton Hobus (PSD), Fernando Krelling (MDB), Jerry Comper (MDB), Felipe Estevão (PSL) e Ismael dos Santos (PSD) expressaram solidariedade à parlamentar.

“As lágrimas secam, mas a saudade aumenta”, falou Sopelsa, que lembrou da época em que foi prefeito de Concórdia e da ajuda que recebeu de Walmor, então presidente da Telesc, para instalar 1,5 mil linhas de telefone.

“O que fica na vida são as coisas que a gente fez”, avaliou Carminatti, que destacou os 53 anos de convivência familiar e política do casal de Luca.

“A tua fala expressa a ternura da convivência de anos em família e na política”, registrou Mauro de Nadal, vice-presidente da Casa.

“Uma história de vida longa familiar e política, lá em casa ninguém quer falar de política, só eu”, confessou Hobus.

“A morte rouba a presença, mas não roubará a lembrança daqueles que amamos”, filosofou Krelling.

“Fica o nosso sentimento de carinho e respeito por você, aqui tem mais 39 companheiros que estão do seu lado”, indicou Comper.

“A perda de alguém não tem palavras que confortem, que o Espírito Santo conforte teu coração e da tua família”, expressou Estevão.

“Uma biografia que honra e orgulha o estado e todos nós, mestre Jesus, no evangelho de João, diz que “não se turbe o vosso coração, crede em Deus e em mim, porque na casa do meu pai há muitas moradas”, citou Ismael.

Campanha difamatória contra a PM
Ana Caroline Campagnolo (PSL) denunciou uma suposta campanha difamatória contra a Polícia Militar e identificou uma professora de Caçador que fala aos alunos sobre a possibilidade de um policial militar bolsonarista “deixar uma mulher apanhar”.

Felipe Estevão concordou com a colega e relatou espanto com visita que fez a uma universidade.

“O que vi ali foi baderna, rebeldes sem causa, ovelhas sem pastor”, resumiu o representante de Laguna.

Acaert
Maurício Eskudlark (PL) e Ricardo Alba (PSL) ressaltaram a visita que dirigentes da Acaert fizeram ao Parlamento.

“A Acaert tem se destacado no âmbito federal pelas ações que tem desenvolvido em prol da democracia e do nosso estado, foi recebida pelo presidente Jair Bolsonaro”, informou Eskudlark.

“Parabenizo a Acaert pelo trabalho feito”, afirmou Alba.

Inauguração da Deic
Eskudlark repercutiu na tribuna a inauguração do prédio que sediará a Deic, em São José.

“Foi a inauguração oficial, a Deic sempre pagou aluguel, prédios sem condições, mas tem 11 delegacias especializadas e o maior índice de solução de crimes, enquanto a média nacional é de 7%, aqui é de 80%”, comemorou o ex-chefe da Polícia Civil.

Homenagem à Polícia Civil
Eskudlark também registrou sessão solene da Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú alusiva aos 207 anos da Polícia Civil.

“A segurança pública e a saúde são duas áreas em que o cidadão chega fragilizado, é onde precisa encontrar apoio, quando o policial dá apoio, ele é fundamental para restabelecer a paz e a ordem social”, avaliou Eskudlark.

Instituto Leonardo Macarrão
Eskudlark ainda homenageou o Instituto Leonardo Macarrão, de Balneário Camboriú.

“O instituto tem um projeto de jiu-jitsu para cerca de 130 crianças de oito a 14 anos, ensinam defesa pessoal, respeito às pessoas, formação da personalidade, quem pratica artes marciais aprende primeiro a respeitar.”

Jessé Lopes (PSL) e Felipe Estevão, ambos praticantes de jiu-jitsu, lembraram a disciplina, a austeridade e a hierarquia vigente no tatame.

Estadualização do porto de Laguna
Felipe Estevão anunciou que amanhã, quinta-feira (19), o governador irá a Laguna para estadualizar o terminal pesqueiro da cidade.

“Iniciamos um luta para estadualizar o porto de Laguna, uma batalha árdua, contínua, fomos a São Paulo, reuniões na Codesp, ministérios em Brasília, depois de toda uma batalha burocrática pedimos ao governador que abraçasse a causa, conversamos com a SC Parcerias e daí a coisa foi tomando corpo. Hoje foi alinhado com os governo federal e estadual e amanhã o governador desce em Laguna para declarar a estadualização”, comemorou Estevão.

Blumenau: capital dos transplantes
Ricardo Alba anunciou que o governador sancionou lei de sua autoria reconhecendo Blumenau a capital catarinense de transplantes de órgãos.

Seminário da Unale
Kennedy Nunes (PSD) agradeceu o apoio da Casa, em especial das deputadas Marlene Fengler (PSD) e Ada de Luca, para o sucesso do seminário realizado pela Unale no auditório Antonieta de Barros.

“Estamos criando uma política pública para combater o suicídio, a automutilação, a violência contra as mulheres e gestão do Sistema Único de Segurança Pública”, revelou Kennedy, que exibiu vídeo com os melhores momentos do seminário.

Comente com o Facebook